Anúncios | Artigos | Galeria |  Fórum   | Eventos | Utilizadores | Top | Raças | Diários | Quem?

Utilizador:
Password:
Memorizar-me


== ARTIGOS ==
Site Felinus
Lazer
Entrevistas
Clipping
BD
Newsletters
Encontros
Ajuda
Notícias
Sobre o Site
Informação
Raças
Conselhos
Legislação
Notícias
Campanhas
Crónicas
Histórias Felizes
Ficção
Humor
Opinião
Livros
Revistas
Filmes
Lojas
Veterinários
Alimentação




Artigos  » Site Felinus » Entrevistas

Entrevista a Vicki Myron, autora de "Dewey"

A convite da Editora Caderno, através da assessora de imprensa Maria Rodrigues, o Felinus e Cia teve a oportunidade de entrevistar Vicki Myron, a autora do sucesso de vendas, “Dewey – O gato que comoveu o mundo”.

Fui recebida por Vicki com um largo sorriso e um caloroso abraço, na recepção de um hotel em Lisboa onde esteve por uns dias hospedada, aquando da digressão de promoção do livro pela Europa, na semana de 23 de Fevereiro de 2009.

Vicki, quero começar por lhe agradecer ter partilhado connosco a sua história e dar-lhe os parabéns pelo sucesso alcançado pelo livro.
Muito obrigada.

Como bibliotecária e directora da biblioteca de Spencer, viveu grande parte da sua vida rodeada de livros. Foi a primeira vez que escreveu um?
Sim, foi a primeira vez, e não conseguiria tê-lo feito sem a ajuda de Bret [Witter], que ajudou a organizar e a condensar tudo aquilo que eu queria dizer, e a colocá-lo no papel.

Estou aqui em representação de um grupo [Felinus e Cia] que luta por informar o público das vantagens da castração/esterilização dos animais de estimação, com o intuito não apenas de preservar a sua saúde, mas também como uma responsabilidade social, de forma a assegurar que os gatos e cães que vagueiam nas ruas não se reproduzem exponencialmente. Qual é a sua opinião sobre a esterilização dos animais?
Acho extremamente importante, para reduzir a população de gatos errantes. O Dewey foi castrado ainda jovem, logo após a decisão de a biblioteca o adoptar.

Recordo-me, no entanto, que estava apreensiva quanto a essa decisão. Certamente estava dividida entre fazer o melhor por ele e os riscos da anestesia.
Sim, é verdade que estava apreensiva, mas isso deveu-se a uma má experiência com o gato dos meus pais, que também havíamos decidido castrar anos antes. Por descuido, o veterinário deixou uma taça com água na box, já depois de lhe ter dado o sedativo. Ele adormeceu sobre a taça de água e afogou-se. Esse episódio marcou-me muito e fiz questão de alertar o veterinário que castrou o Dewey para que retirasse todas as taças de água da box.

Existem gatos errantes em Spencer? Qual é a política sobre os animais errantes no estado do Iowa?
Existem alguns gatos errantes pela cidade, sim. Não muitos, mas alguns. Não sei qual a política do Iowa sobre isso. Durante os anos em que estive na biblioteca, foram deixados mais alguns gatos na caixa de devoluções, tal como aconteceu com o Dewey, mas quase todos eles foram sendo adoptados por funcionários ou utentes da biblioteca.

Teve algum outro animal, para além de Dewey e da sua cadela Brandi?
Sim, sempre vivi rodeada de animais e tive vários gatos e cães ao longo da vida, antes do Dewey e da Brandi. Até muito recentemente, não tive outros animais, porque o facto de me ausentar regularmente de casa me impedia de manter um animal comigo. Mas temos agora uma nova gatinha, que tem cerca de 4 meses e cuja história é muito semelhante à de Dewey. No caso dela, foi apanhada da rua num dia também muito frio e vinha coberta de neve. Tinha as patinhas tão queimadas que durante algumas semanas a pele das almofadas foi escamando. Chamámos-lhe Paige Turner*, e é fisicamente muito parecida com Dewey. A única diferença é a cor dos olhos, que são verdes. Já em termos de personalidade existem muitas diferenças: Paige é mais assustadiça, menos sociável que Dewey, que era um “gato de pessoas”.

Quer dizer então que ela não gosta, por exemplo, de andar ao colo das pessoas, como o Dewey?
Não, ela é muito encalorada. Aguenta ser pegada ao colo durante alguns segundos, mas depois fica com calor e quer saltar para o chão. Ao contrário do Dewey, que procurava os locais mais quentes e era capaz de ficar horas ao lado do aquecedor, Paige prefere os locais frios.

A taxa de adopções de animais aumentou em Spencer, em virtude do Dewey se tornar famoso?
Não tenho dados concretos sobre isso, mas penso que o aumento de adopções se deu após a morte de Dewey, quando a história dele ganhou outras proporções, e não tanto durante os anos em que esteve connosco.

Houve um maior interesse do público na secção de livros relacionados com animais, ou gatos em particular, na biblioteca de Spencer, depois da adopção do Dewey?
Um pouco. Sempre tentámos ter uma boa selecção de livros sobre animais, e é possível que tenhamos adquirido mais livros sobre gatos ao longo dos últimos anos, até porque o Dewey consta de pelo menos 3 livros, e claro que tínhamos várias cópias desses livros na biblioteca, assim como temos os vídeos onde se fizeram reportagens sobre ele.

Vicki com Dewey em 2004
Muitos gatos são abandonados pelas famílias humanas quando estas descobrem que vão ter um bebé, na maior parte das vezes por receio da toxoplasmose. A sua filha manteve contacto com o Dewey enquanto esteve grávida?
Sim, nessa altura ela já tinha a sua própria casa mas ia visitar-me e convivia com o Dewey. De qualquer forma, ela própria tinha uma gata, com quem sempre teve contacto.

Não há portanto, na sua opinião, qualquer razão para abandonar o animal ou para as grávidas evitarem o contacto com os gatos? Desde que se tenham cuidados básicos...
Exacto. Desde que se tenham cuidados básicos de higiene não há qualquer razão para isso.

E o contacto dos animais com as crianças é benéfico, pode até criar-lhes anticorpos e prevenir alergias, não é verdade?
Muito benéfico! Pode prevenir alergias ou pelo menos possibilitar a detecção precoce de uma alergia. Os meus netos adoravam o Dewey, andavam sempre com ele ao colo, beijavam-lhe a boca repetidas vezes, e são saudáveis. E é benéfico também em termos de educação, da aprendizagem dos limites, do respeito pelo outro. Existem inúmeras vantagens na convivência das crianças com os animais.

Por vezes também sinto que os meus gatos têm capacidades telepáticas, como as que a Vicki relata no livro. Acredita que o Dewey tinha algo mais, algo especial, no sentido que ele sempre cumpria aquilo que a Vicki pretendia que ele fizesse?
Sem dúvida. Mas não só ele me entendia como eu era a única pessoa que também sabia sempre interpretar o que ele queria transmitir. Bem, com excepção do episódio do morcego. Eu nunca teria descoberto o que ele estava a tentar dizer-me nesse dia. (risos)
Ele fazia todas as pessoas sentirem-se especiais. Muitas vinham ter comigo e diziam “eu sei que o Dewey gosta de toda a gente, mas eu sinto que ele tem uma relação especial comigo”.

Recordação de Dewey na biblioteca de Spencer
Temos um grupo dedicado ao artesanato, em que os trabalhos feitos pelos membros do grupo são vendidos para angariar dinheiro para animais abandonados. Sei que gosta de artesanato e gostaria de saber a que tipo de artesanato se dedica.
Gosto principalmente de arranjos florais. Fiz trabalhos para vários casamentos, festas, recepções e outros eventos. Gosto muito de decoração e de todos os trabalhos que envolvam flores.

Alguma vez fez artesanato relacionado com gatos?
Não, com excepção de uns postais que fiz com fotos do Dewey, penso que nunca fiz nada com gatos.

A história do Dewey e a sua história, irão ser adaptadas ao cinema e a Vicki já confirmou os rumores de que a Meryl Streep irá interpretar a sua personagem. Como é que se sente por a Meryl Streep assumir esse papel?
É surreal ter a Meryl Streep, uma actriz que eu admiro imenso, a interpretar o meu papel. Estou muito contente com o envolvimento dela no projecto e não podia imaginar alguém melhor para me interpretar. É uma verdadeira honra para mim!

Já passou algum tempo com ela?
Ainda não, mas penso que ela irá passar algumas semanas comigo daqui a pouco tempo. Ainda me é difícil acreditar que irei ter a Meryl Streep a seguir-me, a aprender os meus maneirismos...

Foram consideradas algumas outras actrizes para interpretar o papel?
Foi feito casting a algumas, mas a Meryl aceitou o papel desde muito cedo e quer interpretá-lo. Ela está garantidamente no projecto independentemente da produtora que for escolhida.

E o casting para o papel de Dewey?
Não tenho a certeza como será. Sei que para o filme baseado na história do cão Marley foram usados 22 cães. Suponho que para o papel de Dewey também serão usados vários gatos.

Vicki e a nova gatinha Paige
Tenho informação de que está a trabalhar sobre novos livros. O que nos pode contar sobre isso?
Estou presentemente a trabalhar em três livros: Um é uma adaptação da história do Dewey para crianças, outro para adolescentes, e um terceiro para adultos, focando o período após a morte do Dewey e o retorno que tenho tido das pessoas acerca do livro, as várias mensagens de apoio que recebi e da influência que ele teve junto de pessoas que estão nos mais variados pontos do mundo. Para o livro infantil, estou neste momento a trabalhar em colaboração com um ilustrador, que se chama Steve James, tal como o meu falecido irmão. Esta coincidência leva-me a pensar que há coisas que estão destinadas e que têm uma razão de ser.

Ao ler o livro, senti que a mensagem do Dewey é de que o carinho, o aconchego, o simples toque, pode mudar as pessoas. Seríamos todos melhores humanos se agíssemos mais como o Dewey, não é verdade?
Exactamente, o toque, o contacto. Esse é o legado do Dewey. Pela convivência com ele, aprendi a ser mais paciente, mais tolerante, e vi como ele influenciou também outras pessoas. Nem todas gostavam dele, mas eram uma minoria...

Como aquela senhora que apresentava reclamações... Ela acabou por desistir?
Não, continuámos a receber reclamações, num ritmo de uma a cada 3 anos, sensivelmente. Mas ela sempre se queixou de tudo, por isso havia alguma tendência para a ignorar...

Provavelmente, se tivesse chegado a conhecer o Dewey, ela teria mudado de opinião...
Para isso ela teria de frequentar a biblioteca e o que é curioso é que nunca a vimos! (risos)

Terminámos a entrevista nesta nota bem humorada, tendo a conversa continuado por mais alguns minutos noutros tópicos. A acompanhar Vicki esteve Glenn Albertson, o seu actual companheiro que, como ela, nutre um grande amor aos animais em geral e a gatos em particular, e insistiram em partilhar comigo algumas fotos da filha de Vicki, dos seus netos, da gata de Glenn, Sasha, e de Paige Turner, a nova gatinha por ambos adoptada, onde pude constatar a sua extrema semelhança com Dewey.

O Felinus e Cia não pode deixar de agradecer a oportunidade proporcionada por Maria Rodrigues, representante da editora Caderno (também ela companheira humana de uma gata), e esperamos poder trabalhar em parceria noutros projectos futuros.





* NT: Paige Turner resulta de um trocadilho (tal como o nome completo de Dewey também resultava). Paige tem a mesma sonoridade de "page" (página) e "turn" significa mudar, virar. Assim, uma tradução livre poderia ser "mudadora de páginas", referindo-se neste caso a uma mudança na página da vida de Vicki e na vida de Paige.

Não conheces o livro? Lê AQUI sobre ele.


Entrevista e tradução: Filipa Bastos
Fotos: António Rosado

Fotos adicionais retiradas de:
http://www.spencerdailyreporter.com/story/1487436.html
http://www.dailymail.co.uk/home/you/article-1141182/Puss-books-How-cat-transformed-town.html
http://blogs.catster.com/the-cats-meow-a-cat-and-kitten-blog/dewey-the-library-cat-has-a-successor/2009/01/03/
http://www.spencerdailyreporter.com/story/1489776.html


- Filipa Bastos (Filipa Bastos) [ Europe/Lisbon ] 2009/03/28 12:19

Versão para Impressão Enviar a um amigo

» Ana Melo ( Ana Melo) » [ Europe/Lisbon ] 2009/06/22 23:02
No meu blog tem várias sugestões de livros com animais para lerem vejam que vão gostar! http://vai-um-cafezinho.blogspot.com/

» Ana Melo ( Ana Melo) » [ Europe/Lisbon ] 2009/06/21 22:58
Estou a ler o livro também, a minha mãe comprou leu e deu me para ler, estou adorar, as vezes tenho que parar porque me vem as lágrimas aos olhos pois ele lembra-me muito o meu Hórus que era um gato também muitos especial, também ruivo, e como estou na loja tenho que parar pois parece mal entrarem por ali a dentro e eu estar a chorar.
Fique parva com a oportunidade que vocês tiverem de entrevistar a autora do livro, que espectáculo, parabéns!
Beijos para vocês!
Aninhas

» BetaPat ( Elisabete Patrocinio) » [ Europe/Lisbon ] 2009/05/23 12:07
Estou a ler o livro da Vicki neste momento e estou a adorar, pela maneira simples e humana como descreve o tratamento dado ao Dewey.

» Rowan ( Ísis Calió) » [ Europe/Lisbon ] 2009/04/21 09:47
Filipa, linda a entrevista!!!
smile.gif
Adorei!!!

» diva ( Vânea Lúcia) » [ Europe/Lisbon ] 2009/04/15 00:26
Parabéns Filipa. Entrevista muito bem conduzida e conseguida.
Sobre as incríveis semelhanças entre Dewey e Paige... como costumo dizer, não há coincidências.

» MJGM ( Maria João Martins) » [ Europe/Lisbon ] 2009/04/10 16:28
Uau! Que giro, uma entrevista com a autora deste livro tão engraçado!
Sabem o que gostei mesmo mais? De ver a foto a cores do Dewey já crrescido! biggrin.gif
É que eu tive muita pena que as fotos do livro fossem a p&b e com tão pouca definição...

» Vertigo ( Silvia Inacio) » [ Europe/Lisbon ] 2009/04/08 13:16
Que surpresa maravilhosa !! smile.gif
Só vi e li esta entrevista deliciosa, agora !!

Sou também uma grande FAN do DEWEY, do livro e da Vicki, claro !! wub.gif
A gatinha Paige Turner é quase uma fotocópia do Dewey... é incrível !!

Boa, Filipa !!! wink.gif

» musaranho ( sara nobre) » [ Europe/Lisbon ] 2009/04/05 20:13
Gostei muito da entrevista clap.gif Adorei o nome da nova gatinha laugh.gif

» greyninjabriel ( Sónia Natividade Vieira da Silva) » [ Europe/Lisbon ] 2009/04/05 19:49
Um livro fantástico que me pôs a chorar. Parabéns pela entrevista.

» rita.xavier ( Ana Rita Freitas Xavier) » [ Europe/Lisbon ] 2009/03/30 12:47
Muitos parabéns Pipa!
Óptima entrevista e abordaste os temas mais importantes smile.gif

» anavalente ( ana) » [ Europe/Lisbon ] 2009/03/30 12:03
Muitos parabéns pela entrevista clap.gif : clap:

» Nero ( Gi) » [ Europe/Lisbon ] 2009/03/30 11:22
O livro lê-se bem, sobretudo para quem gosta de gatos. O Dewey deve ter sido, sem dúvida, um gato de pessoas.

» Mariagata ( Maria da Luz Cardoso dos Reis Domingues) » [ Europe/Lisbon ] 2009/03/29 23:07
Pipa, estás linda wub.gif e parabéns pela entrevista clap.gif clap.gif

» marilena ( Helena Viegas) » [ Europe/Lisbon ] 2009/03/29 22:49
Parabéns Pipa! Adorei a entrevista e as fotos tal como o livro. Vou imprimir para guardar juntamente com o livro.
Como prenda de Natal recebi 2 exemplares smile.gif, um de cada filha.

» Tchiny ( Tânia Ferreira) » [ Europe/Lisbon ] 2009/03/29 12:51
Os nomes dos animais são de facto fantásticos. laugh.gif
Deixou-me esta entrevista com uma curiosidade enorme em ler o livro... wub.gif

» Ana Ramos ( Ana Ramos) » [ Europe/Lisbon ] 2009/03/28 17:38
parabéns biggrin.gif

» Kitty_Oliveira ( Cristina Oliveira) » [ Europe/Lisbon ] 2009/03/28 16:38
Parabéns Filipa smile.gif

» Filipa Bastos ( Filipa Bastos) » [ Europe/Lisbon ] 2009/03/28 16:27
Obrigada, Elisabete heart.gif A maioria das ideias tive-as na noite anterior, enquanto terminava de ler os 3 últimos capítulos, ou mesmo enquanto conduzia a caminho da entrevista. As restantes foram questões que foram surgindo no decurso da conversa. Dado o pouco tempo de preparação e a falta de experiência, com a modéstia de lado acho que posso dizer que até me safei bem... tongue.gif

» atlantic ( Elisabete Feitoria) » [ Europe/Lisbon ] 2009/03/28 13:57
Que bela entrevista, Pipa. Estás de parabéns clap.gifclap.gifclap.gif E fizeste-a apesar da falta de ideias aqui de "nóses"...

A Paige Turner é de facto igualzinha ao Dewey (Readmore Books) e é adorável a forma como a Vicky arranja os nomes para os gatos...
TERMOS DE USO | Regras de Utilização | Felinus e Cia. - © 2001 - 2019 Equipa Felinus