Anúncios | Artigos | Galeria |  Fórum   | Eventos | Utilizadores | Top | Raças | Diários | Quem?

Utilizador:
Password:
Memorizar-me


== ARTIGOS ==
Site Felinus
Lazer
Entrevistas
Clipping
BD
Newsletters
Encontros
Ajuda
Notícias
Sobre o Site
Informação
Raças
Conselhos
Legislação
Notícias
Campanhas
Crónicas
Histórias Felizes
Ficção
Humor
Opinião
Livros
Revistas
Filmes
Lojas
Veterinários
Alimentação




Artigos  » Crónicas

Cartas da gatinha Esperanza - A chegada

Queridos Tios,

Cheguei na sexta-feira. Como eu odeio andar de comboio e de carro... Quando cheguei aqui foi cá um alivio!

Eu estava muito cansada, e tinha medo. A mãe Fátima deixou-me sair da caixinha e eu fui logo ver a minha nova casa. Parece-me razoável. Quando elas estiveram a almoçar pulei para o colo da Carla - achei que era uma boa ideia para a começar a conhecer melhor.

Ela tem cá em casa muitas coisas de gato. Umas mantas nos sofás, um candeeiro de gato, uma caixinha com um gato para pôr os anéis, e tem dois anéis com gatos, tios! Eu acho que esta mãe tem um problema, ela é doida por gatos... e agora? O que é que eu faço?...

Ela disse que ia tirar a manta do sofá grande por uns tempos, só porque eu puxei uns fiozinhos da manta, tios... a manta tem gatinhos, por isso é a minha manta...porque é que ela a tirou do sofá? Esta mãe não presta tios...eu quero a mãe Fátima!

Tios, eu tenho uma reclamação a fazer. Esta mãe não pára em casa. No dia em que eu cheguei foi a uma festa de aniversário! Imaginem que ela saiu de casa eram 21:30h! e só chegou às 23:30h! E sabem o que é que ela me disse quando chegou? Sabem?... “Espy, hoje vi uns olhos de gato a olharem para mim lá na festa, Espy... Mas tu agora és mais importante que qualquer outro gato”.

Tios, é óbvio que eu sou mais importante que qualquer outro gato, e eu tenho os olhos mais lindos do Mundo! Como é que ela pode olhar para o olhos de outro gato, tios? Esta mãe não presta mesmo...

Ela diz que agora vai ser diferente e que tem muito que estudar e por isso vai ficar mais tempo em casa comigo.

Diz também que tem de ir às compras porque eu preciso de brinquedos, muitos brinquedos , enquanto não tenho um mano aqui em casa. A mãe diz que a vida está preta e que tem de pensar bem antes de ter outro gatinho. É que, ela também gosta muito de música, livros, filmes, viagens e diz que precisa tanto disso para viver como de fazer festas num gatinho.

Aqui sou só eu... ela diz que há uns manos que eu não conheço. Tios, ela quando vem da rua trás um cheiro muito estranho... e não é só a manos, tios... eu acho que a mãe tem um cão... Eu lembro-me do cheiro deles da rua... e tios... eu não quero nenhum cão cá em casa!!! Os manos ainda vá, mas cães não! Nem isso, nem aquelas amigas dela que não gostam de gatos...Ah! Isso não! Não é que eu tenha medo, sou pequenina mas sou forte, ehehehehe!

Já percebi que, quando a mãe não saí de casa entram sempre visitas. Logo na sexta-feira à noite antes daquela festa esteve cá uma amiga dela que não gosta de gatos, mas eu pu-la logo na linha. Humpf! Ela não passou da porta da sala, os meus primos deviam ter visto tios, iam aprender muito comigo... Ericei o meu pelo, parecia um leãozinho e a amiga da mãe ficou parada de olhos arregalados a olhar para mim... e eu ouvi ela a dizer à mãe: “Eu não entro na tua sala.” Verdade tios, sou mesmo uma fera, não é?

A mãe riu-se por isso deve ter achado graça, mas eu sei que a moça teve medo, muito medo...ehehehehe!

A mãe disse-me que agora ela é que é a Mãe número I, mas que a outra mãe vai ser sempre minha também, porque ela é que me salvou. Tenho saudades dela e do meu mano Prince. Às vezes ando a procurá-lo aqui por casa. A mãe Carla diz que a mãe Fátima me vem visitar em breve, e que nunca vai deixar de gostar de mim. Ela diz que quando um gatinho entra no nosso coração é uma chatice porque nunca mais sai de lá, e que somos uns inquilinos horríveis. Ela diz que às vezes era bom não gostar tanto de nós.

Tios, eu acho que a mãe é doida. Como é que pode ser bom não gostar de nós, tios?
Mas, não há problema. Agora que estou aqui, eu tomo conta dela, mesmo que ela fique maluca, vai poder contar sempre comigo. E eu sei que ela sabe disso. Esta mãe diz que os gatos nunca fingem e nunca mentem, e que sabe sempre com o que pode contar vindo de nós e que os humanos muitas vezes são falsos. Eu concordo com ela. Foi assim que eu fui parar à rua e a mãe Fátima me encontrou. Mas também sei que há humanos bons, como ela e a mãe Fátima.

Bem tios, não escrevo mais. A mãe diz que tem de ir jantar e quer desligar o pc antes que as batatas cozam demais. Tios, batatas é uma porcaria, mas eu sei que ela tb está a fazer peixinho, pq já me cheirou...

Depois conto-vos a história do monstro amarelo que a mãe tem cá em casa...



Miaus,

Esperanza.

(CMar - 28/04/03)

- Mastah (Paulo Azevedo) [ Europe/Lisbon ] 2003/09/01 09:32

Versão para Impressão Enviar a um amigo

» hecep ( Helena Cepeda) » [ Europe/Lisbon ] 2004/01/09 17:14
smile.gif Espy simpática! Claro que um gato pode usar como bem lhe apetecer qualquer objecto que tenha um gato, faz parte dos seus direitos universais!
TERMOS DE USO | Regras de Utilização | Felinus e Cia. - © 2001 - 2022 Equipa Felinus